quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Zinext Número 08 - Operação Natal Concluída

GRAÇAS A UM ESFORÇO HERCÚLEO DOS EDITORES DA ZINEXT, A NOVA EDIÇÃO ESTÁ A DISPOSIÇÃO!

Pessoalmente fiquei surpreso e muito feliz em ter TUPANAOCA como capa da Zinext de fechamento do ano. Foi uma edição difícil de ser executada e, talvez por isso, ela seja tão especial. Novamente deixo aqui o meu abraço a equipe da revista e os meus parabéns a todos os colaboradores. Torço muito por este time em 2014 e desejo que todos os que estão acompanhando a revista que estejam gostando dela tanto quanto eu em participar.

Forte abraço a todos, Feliz 2014!

O link para a revista é só clicar >>>AQUI!<<<

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Zinext 08 em Contagem Regressiva para Lançamento

PROGRAMADO PARA O NATAL - II

Para mim foi um verdadeiro presente de Natal, eu não esperava que Tupanaoca 2 fosse a base da capa da revista este mês. Espero que todos se divirtam! A Zinext prepara o lançamento para este dia 25 de Dezembro. Correndo tudo dentro do cronograma será só ler e se divertir!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Preparativos Para a Nova Revista da Zinext

PROGRAMANDO PARA O NATAL

A Equipe da revista Zinext está trabalhando para o lançamento da edição de número 08. Caminhando no cronograma a expectativa é que o coletivo virtual esteja liberado neste natal. Este é um spoiler dos estudos da capa da edição. Lógico que divulgaremos tudo aqui no Blog e Tupanaoca #02 faz parte do cardápio da vez.

domingo, 8 de dezembro de 2013

Tupanaoca Episódio #02 - A Encruzilhada

APENAS UMA DANÇA E UMA JARRA CHEIA DE SANGUE



Olá! Finalmente estou liberando para leitura o Episódio 02 de Tupanaoca. Desta vez vamos trabalhar um pouco com pactos com o maligno e demônios da encruzilhada.Temos de brinde duas músicas que ajudaram na inspiração deste episódio: "A Cera" - do grupo O Surto e "People Strange" do bom e velho The Doors. Espero que se divirtam. Não devo ter grandes novidades até o final do ano, então, esta história já serve de presente de Natal também.

Abraços a todos e divirtam-se!



A Cera by O Surto on Grooveshark
People Are Stange by The Doors on Grooveshark

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Bruxinha Mô, Conexão Nanquim e Popcake

AS AVENTURAS DA BRUXINHA MÔ


Chairim Arrais é uma ilustradora que sempre gostei desde a época das Vampirinhas do Rock da HQ virtual Purple Apple. A série acabou, mas os projetos dela apenas começaram. Desta vez ela fez um livro ilustrado voltado para o público infantil, o livro já é um sucesso esgotou a primeira tiragem. Agora ela está tendo que correr para preparar mais material para o FIQ 2013 que vai ocorrer dos dias 13 a 17 de Novembro na Serraria Souza Pinto em Belo Horizonte. Não tenho dúvidas de que ela vai se dar bem em Minas. Para conhecer o Blog da Bruxinha Mô é só clicar >>AQUI<<<

POPCAKE 03

Já está disponível para leitura a revista virtual Popcake. O principal trabalho de quadrinhos voltado para o público feminino de nossa internet nacional tem a estréia nesta edição de novas séries e também a continuação de Sigma Pi, Aquarela e outras mais. Para a leitura da edição, basta clicar >>AQUI<<.

CONEXÃO NANQUIM 10


Em uma edição onde mais uma antiga série chega ao fim, a Conexão Nanquim trás três novas séries para aumentar ainda mais a qualidade do trabalho que andam fazendo. Nesta edição eu destacaria Born Cartolla e Chess Time como boas pedidas e que vale a pena conferir. Para acessar o coletivo, basta clicar >>AQUI<<!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

As Faces de Cobra-Grande

AMIGO? INIMIGO? DEUS? DEMÔNIO? QUEM É O COBRA-GRANDE NO MUNDO

O mito de Cobra-Grande talvez seja o mais antigo e enraizado da cultura mundial, é um mito que se espalha ao redor do mundo passando desde a mitologia Nórdica, onde a Serpente de Midgard chamada Jormungand está destinada a matar e morrer na luta contra o deus Thor no Ragnarok; passando pela religião africana, onde Oxumarê desce dos céus em forma de arco-íris e bebe a água dos rios causando grandes secas se tornando o Deus/Deusa que controla a estação das secas e das chuvas; passando também pela bíblia onde, como o mais astuto dos animais se divertiu às custas e Eva e Adão resultando na expulsão da ambos do Paraíso, na Austrália com a lenda dos rios e chegando finalmente a América do Sul onde Cobra-Grande ocupa o maior destaque das lendas.

Segundo uma das lendas guaranis, Cobra-Grande, filho de Tupã antigamente era uma Mboiguaçú comum, mas subiu o Rio Amazonas e retornou como Cobra-Grande. Como existem várias lendas a respeito deste ser, vale a pena colocar aqui o fato de Cobra-Grande ser o próprio Rio Amazonas onde a cabeça se encontra em sua foz (Ilha de Marajó) e sua calda em sua nascente, na região do Peru. Por este motivo o Cobra-Grande é chamado pelos nativos de "Amaru Mayu" ou "A Serpente Mãe do Mundo". No folclore Viracocha, Cobra-Grande é destacado em duas poderosas faces: Jacumama, a serpente em forma de relâmpago que corta o céu e a terra e Sachamama, a serpente de duas cabeças em forma de Arco-Íris que liga Céu, Terra e Inferno sendo o responsável pelo equilíbrio do bem e do mal no mundo.

Nas histórias de Tupanaoca, Cobra-Grande é isto, a face do poder bruto da natureza que percorre o mundo e que tem sua casa nas florestas brasileiras, um ser de muitos filhos dotado de grande poder, indomável que só segue a si mesmo e aos seus objetivos. Para uns será um deus, para outros um demônio, e para quem o conhece uma criatura com um comportamento nem mais e nem menos que humano.

domingo, 13 de outubro de 2013

TUPANAOCA 02 - Breve!

HISTÓRIA CONCLUÍDA
Dois meses para ajustes finos. Este é o tempo que tenho até a publicação de TUPANAOCA 02 na ZINEXT. Não vou precisar de tanto tempo, breve devo começar a trabalhar no episódio 03 (se tudo der certo, já na semana que vem). Aqui no site vou postar algumas curiosidades a respeito desta nova batalha do Cobra Honorato e algumas páginas de amostra do episódio. Bom, é isso aí! Abraços a todos!

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Publicado: ZINEXT #07

AGORA É PRA VALER!

Saiu hoje a revista ZINEXT número #07. No cardápio: Memo, de Rodrigo Marques. Da Água para o Vinho, de Milena Fernandes. O Reino, de Gil Henrique. O Cariri, de Clenilton Loiola. E a estréia de TUPANAOCA!

Tenho que agradecer a toda a equipe da revista que fez um excelente trabalho: Francisco Oliveira, Rezo Oak, Ariane Oliveira, Cleber, Clenilton Loiola, Leonardo Fernandes, Luis CS e todos os demais colaboradores que colocaram em prática mais um número deste coletivo.

Vocês podem ver o número clicando >>AQUI<<.





sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Episódio 02 - Fase de desenhos concluído!

BATALHA CONCLUÍDA



É isso aí, finalmente toda a parte de desenhos do Episódio 02 de Tupanaoca está concluído e escaneado. Agora vem a parte de finalização no computador, letramento etc. Poderia até já marcar uma data para o lançamento da história, mas preciso consultar alguns companheiros da Zinext sobre isto, principalmente por questão de justiça devido ao apoio que estou encontrando por lá e o fato de Tupanaoca já fazer parte da listagem da revista. Aliás, dia 07 deste mês é o lançamento oficial da nova Zinext e, é claro, vou colocar o link a disposição aqui. A história tem algumas novidades visuais quanto a versão lançada em junho. Para mim ficou melhor e vai valer a pena conferir. Todos estão convidados!


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Novidades, Novidades e Mais Novidades

O CÍRCULO SE FECHOU, REAÇÃO EDITORA CRESCEU!


A Reação Editora é um selo criado por vários artistas dos quadrinhos que usam a internet para publicar a sua arte. A Conexão Nanquim foi a primeira revista do selo que eu havia conhecido, em seguida veio a Zinext e, mais recentemente, a revista Popcake que acabou de ganhar a sua segunda edição. Agora com a edição do Francisco Oliveira e a direção do Kaio ED e Caique Serafim, o intercâmbio entre as revistas virtuais ficou ainda maior e se pode esperar, ao que tudo indica, dois títulos lançados por mês. O trabalho do grupo é muito forte e só se pode esperar coisas boas daqui em diante. Para quem quer conhecer a Popcake, a revista das meninas da Reação Editora é só clicar >>AQUI<<

Quanto a WC², nossos companheiros de tirinhas continuam firmes e fortes, nesta edição os Patos Samurais atacam com várias histórias de artistas independentes. O link é este >>AQUI<<. Espero que se divirtam.

domingo, 8 de setembro de 2013

A Encruzilhada - Página 01


E seguimos com a primeira página que serve também com prólogo do Segundo Episódio de Tupanaoca. Ainda faltam algumas páginas para desenhar, mas aos poucos a história vai tomando sua forma definitiva.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Conhori, a Rainha das Amazonas Brasileiras

CONHORI EM DESTAQUE

Estou ainda participando dos preparativos para o lançamento de Tupanaoca no coletivo Zinext de quadrinhos. Se caminhar tudo bem a Conhori deve estar lá. Quem quiser conhecer mais sobre a Zinext é só clicar >>>AQUI<<<.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Dia do Folclore Nacional

DEVEMOS COMEMOARAR? SIM, POR QUE NÃO?


Feliz dia do folclore para todos! E, como não poderia deixar de ser, vamos falar de forma bastante breve sobre duas HQs que tratam sobre o assunto:

Primeiramente: Salomão Ventura, o Caçador de Lendas. Tive o primeiro contato com este trabalho do autor Giorgio Galli ainda no site da Oi há bastante tempo, quando aquela empresa tinha um projeto bem legal para a divulgação de quadrinhos. Infelizmente a ideia morreu, mas o Giorgio, como bom brasileiro e que não desiste nunca, usou as quatro páginas que havia colocado para o concurso local como propaganda de seu personagem levando os leitores ao mundo sombrio do Caçador de Lendas Salomão Ventura. O Salomão é uma figura sombria, misteriosa e que usa de magia para interagir com as criaturas mágicas de nosso folclore, ele me lembra até um pouco, dada as devidas proporções ao John Constantine (Hellblazer). No blog com o link do Giorgio é possível ver que o projeto continua a pleno vapor e que a próxima edição com 80 páginas e trazendo a Cuca já está em andamento. Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho impresso do autor é só clicar >>>AQUI!<<<

E agora: Projeto Folks. Folks é um projeto independente do artista Fabio Dino. Ele tem uma abordagem muito legal sobre o folclore trazendo as aventuras da mata para a zona urbana. Toda semana é publicado em seu blog uma nova página e, com o passar do tempo, histórias fechadas vão surgindo. Recentemente uma temporada se fechou e, pelo andar da história, vamos compreendendo uma teia de conspirações se fechando com novos e poderosos vilões aparecendo. Uma das grandes sacadas do Dino foi brincar com a palavra Folclore dividindo o ranking de seres de seu mundo entre os Folks e os Lores. Até onde isto vai dar é difícil saber, mas o fato é que o carisma de seus personagens como o Kuru, a Iara, o Saci e o Negrinho do Pastoreiro nos convidam a continuar a cada semana procurando uma novidade e desejando a continuidade da história. Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho do Fábio Dino é só clicar >>>AQUI!<<<

E, sobre o projeto Tupanaoca, ele está em andamento e a segunda história está sendo desenhada aos poucos, digamos que 1/3 das páginas deste episódio já estejam desenhadas, possivelmente devo escolher alguma das páginas desenhadas para postar por aqui na semana que vem.

Por enquanto, é só.

sábado, 17 de agosto de 2013

ZINEXT - Agora também Fazemos parte!

A UNIÃO FAZ A FORÇA



Recentemente recebi um convite que me deixou muito feliz! Fui convidado para participar de um coletivo de quadrinhos formado por pessoas que, como eu, gostam de escrever e desenhar. Trata-se da Revista Virtual ZINEXT que já está no número seis.

Tendo como editor o Francisco Oliveira, a revista conta com vários artistas e colaboradores que usam o estilo do Mangá para contar histórias e criar novos mundos e realidades.  Dentre eles temos o Gledison Lessa, autor do "Angel’s Cry"; Ariane Oliveira, autora de "Metamorfose"; Edson Masakiro; autor de "Black Dhalia" e "Família na Real"; Milena Fernandes, autora de "Da Água para o Vinho"; Rezo Oak, autor de "Z’"; Rodrigo Pereira, autor de "Anjos & Demônios"; Francisco Oliveira, autor de "Soora" e vários outros colaboradores.

A próxima edição, onde TUPANOCA fará sua estreia está marcada para Outubro. Já estou trabalhando na segunda história. Como eu disse, a Zinext é um coletivo de diversos autores e quem quiser conhecer basta clicar >>>AQUI<<<.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Estudo de Oponentes - O Diabo da Encruzilhada

...MAS HAVIA UMA ENCRUZILHADA NO MEIO DO CAMINHO...
Primeiros estudos do Tentador das Encruzilhadas.
Se alguém estiver a fim de um "empréstimo" financeiro, é só falar com ele.
Juros? Só no fim da vida.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Estudo de Personagens

ARTEMIS, 5 ANOS!


A produção de Tupanaoca sempre foi muuuuito devagar. O mesmo acontece com a criação de seus personagens. Creio que a definição do universo da história e o comportamento dos seus protagonistas deve ser sempre equilibrado de modo a permitir que se possa explorar a maior quantidade de possibilidades possíveis. Ártemis é uma destas personagens, em 2009, ainda com um modo de escanear e de finalização bem diferente do que usei nesta última história, fiz o primeiro esboço da personagem. Ela nem se chamava Ártemis na época, o seu nome era Alexandrita. O visual lembrava um pouco o de cigana, na época a ideia era de uma donzela independente e experiente, apesar de jovem. Talvez eu ainda use em algum momento esta concepção da personagem em algum arco, já que o visual para a personagem ainda acho interessante.

Em 2010, ainda definindo o nome como Amanda ou Ártemis, surgiu esta nova versão da personagem. Coube a minha esposa/editora definir o nome final como Ártemis e exigir mudanças no visual da personagem já que estava "piriguete" demais. Fiz alguns outros estudos até surgir a Ártemis que usava esta roupa verde ao lado. Ela era mais baixa, mais infantil e menina. Gostei do estilo dela, mas a roupa ainda estava pouco comportada.

Fiz vários outros estudos até chegar ao visual atual usado na história, a única coisa que mudou com relação a versão passada foi mesmo a roupa, já que o cabelo castanho e encaracolado acabou virando marca para a personagem além de ser sardenta e ter os olhos grandes. Este visual agradou mais a minha editora, já que, na visão dela, não existem muitos personagens com o cabelo assim. Aliás, acho que não lembro de nenhuma de cabeça...

A arte de criar é assim... Devagar e sempre!





sexta-feira, 5 de julho de 2013

WC² Está Com Nova Edição.

A TURMA DO WC² ATACA OUTRA VEZ!


A turma do WC², formado por vários artistas amadores que amam as dores de fazer tirinhas trouxeram nesta edição os mais loucos crossovers da atualidade. A capa desta vez foi minha. Sugestões e críticas serão bem vindos no site do WC². Para conhecer a HQ virtual, basta clicar >>>AQUI!<<<!

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Cobra Honorato Filho

A LENDA DO FILHO DE COBRA GRANDE CONTINUA
A história passou e não falei muito do protagonista. Cobra Honorato é um dos personagnes que mais gosto do folclore brasileiro, de acordo com a lenda ele é filho de uma índia Tapuia com o Cobra Grande e tinha uma irmã chamada Maria Caninana. Por causa da maldição, segundo a lenda, ela se converteu ao cristianismo e deu aos filhos gêmeos os nomes de Honorato e Maria. 

Enquanto Norato, como era mais conhecido, era uma pessoa boa e gentil, Maria era perversa e má. Segundo a lenda ele enfrentava criaturas monstruosas dos rios e ajudava as pessoas, mas sua maldição o fazia ser obrigado a "vestir" novamente o couro de uma sucuri e a errar pelos rios. Maria, que não aceitava sua condição, se tornou cada vez mais violenta e assassina resultando em uma luta mortal entre os irmãos. Cobra Norato perdeu o olho, e Maria Cainana a vida. Parece que depois de matar a irmã ele se tornou deprecivo e triste. Já não suportava mais o fardo que carregava. Felizmente, sua maldição foi quebrada graças a coragem de um soldado da cidade de Cametá que colocou leite de mulher na boca da serpente e partiu a cabeça do réptil com sua espada. A partir daí Norato, como era mais conhecido, passou a viver uma vida normal e se tornou também um soldado da cidade.

A lenda conta a história até aí, em Tupanaoca, para a criação do personagem Cobra Honorato trabalhei com algumas hipóteses:

- E se Cobra Norato, depois que a maldição fosse quebrada tivesse se casado e tido filhos? Isso não seria incomum.
- E se o filho herdasse o sangue do pai?
- Cobra Grande é o pai de Cobra Norato, como ele reagiria com o afastamento dos filhos?
- E se um filho de Cobra Norato aceitasse a maldição da família?

Existem lendas que dizem da aparição de Cobra Honorato cujas datas não coincidem com alguém que viveu e morreu no passado, como a luta que teve de 100 dias e 100 noites contra a Piraíba do Rio Amazonas que se alimentava de crianças e foi expulsa para o Rio Trombetas.

Estes "causos" me fez imaginar que existem muitas histórias não contadas a respeito do herói e que deveriam ser exploradas. Outras informações sobre Cobra Honorato e outros personagens é só visitar o Menu deste site. Espero que se divirtam!

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Tupanaoca: Episódio 01




Aproveito a oportunidade para agradecer a alguns companheiros que direta ou indiretamente sempre me incentivaram a continuar a escrever e a desenhar. Ao amigo João Norberto, Alex Nery e demais companheiros do Universo Nova Frequência. Ao Eremita do Iceberg, Diego Marinho, que foi um dos primeiros a ver o projeto em construção tomando forma, ao quadrinista Fábio Dino, do Projeto Folks e, é claro, aos amigos com quem dividi projetos na revista virtual WC². Quanto a minha esposa, bem, agradecer a Tebhata é pouco... Vou dar um beijo nela, para começar! 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

É Amanhã: História Completa!

Amanhã a história sai do forno.
Pretendo ainda nestas últimas horas fazer alguns ajustes para a postagem do material, portanto não devo postar esta madrugada.
O mais certo é que a história esteja disponível amanhã à noite.
Preparei um Wallpaper para já entrar no clima da história. É dos grandes, 1680x1050. Outros formatos menores vou postar com outros personagens no decorrer do período.
Espero que todos gostem!


quinta-feira, 13 de junho de 2013

Zaoris: Além do Seu Olhar


Quem quer ver além do alcance?


Poderes paranormais sempre fizeram parte da mitologia de diversos povos. Telepatia, teletransporte, mediunidade, telecinesia, radiestesia, zahorí e muitos outros dons que fariam qualquer mutante da Marvel feliz da vida. Não só da Marvel e DC, mas também dos mangás japoneses.

Alguém lembra do personagem Sasuke do anime Naruto? Ele possuía olhos mágicos chamados de sharingan que o permitia copiar o que uma outra pessoa fizesse apenas olhando. Este princípio foi usado no “olho do leão” de Régulus, personagem do mangá Cavaleiros do Zodíaco – Lost Canvas. Uma mulher também já teve olhos especiais e o nome dela é Aya Natsumi  do mangá Tenjho Tenge. Era o Ryugan, os olhos do dragão. Quem tinha o Ryugan podia ver o passado, presente, os futuros possíveis e até ver e ouvir os mortos.

Ter uma “visão além do alcance” significa obter uma vantagem significativa sobre os outros mortais. Talvez seja por isto que a lenda do Zaori seja tão interessante.  O zaori é uma lenda árabe trazida para o Brasil na época da colonização durante o ciclo das pedras preciosas. A lenda é forte na região do Rio da Prata, no Rio Grande do Sul. Lembra estes gurus que tem uma pedra como se fosse o terceiro olho? Pois é, é uma variação do Zaori. A definição de zaori mais comum que se encontra na internet é que “Todos aqueles que nascem em uma sexta-feira da Paixão são zaoris. Têm o aspecto de homens comuns. Seus olhos, porém, são muito brilhantes, de um brilho mágico, misterioso. Possuem o poder de ver através de corpos opacos, terras ou montanhas, assim conseguindo localizar tesouros escondidos. Barras de ouro ou prata, jóias, pedras preciosas, armas raras, nada escapa ao olhar mágico destes seres, mesmo que esteja enterrado sob vinte metros de terra.”

Vendo esta definição e analisando o folclore de pessoas que leem cartas, mãos, e enxergam o futuro acabei chegando a uma conclusão sobre o Zaori que é o que será usado nas histórias de Tupanaoca: o zaori é o olho da verdade. O que você quer ver? Você quer ver ouro na montanha? Quem tem o zaori tem a capacidade de olhar o lugar e ver a verdade se há ou não ouro no lugar. Você quer ver o que pode acontecer no futuro se seguir um determinado caminho? O zaori mostra se aquilo é verdade ou não.

Para uma história, esta concepção traz um leque muito interessante de possibilidades a serem exploradas e ao mesmo tempo não foge da tradição folclórica dos adivinhos do interior. Dia 20 de junho, estão convidados para ver como isto funciona na história em quadrinhos de Tupanaoca. Será ler e se divertir.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Um Monstro Chamado Minhocão


Olhe lá no rio! É um verme? É um peixe? É uma cobra?... Não, é o Minhocão!

Se alguém te perguntar: “Já ouviu falar da lenda do minhocão?” o que você vai responder?

Alternativa 1 - “Já. Minhocão é o viaduto da minha cidade”.
Alternativa 2 - “Já, minhocão é o nome dado ao trenzinho da alegria onde a Cuca, o Fofão e a Emília chamavam as crianças para passear”.
Alternativa 3 - “Já, minhocão é o minhocuçu grande. Destes que a gente usa como isca para pescar. Só que é ele que pesca a gente.”

... Tempo...

Se escolheu uma das respostas acima, lamento muito! Nenhuma destas alternativas tem haver com o folclore do Brasil. Minhocão original tem haver com a lenda indígena da “piramboia” que é traduzido como “peixe-cobra”. Ou melhor: o minhocão seria na verdade uma piramboia de tamanho descomunal que rasga a terra por onde passa e é capaz de virar grandes embarcações.

Câmara Cascudo, certamente um dos mais renomados pesquisadores do folclore brasileiro escreveu que o “Minhocão, do ciclo da Cobra Grande, da Boiúna amazônica, é o monstro que povoa de mistérios as águas do Rio São Francisco. Tem a aparência de um minhocão molenga e feroz, sem fazer favores como a Mãe-d’água e o Caboclo do rio. Persegue para comer, vira barcos espalhando pavores. O minhocão explica fenômenos naturais de erosão. As barrancas do rio, cortadas a pique, escavações fundas, covas circulares que lembram bocas de túneis, terras afundadas subitamente pelo solapamento das bases submersas.”

Existem referências do Minhocão de norte ao sul do Brasil, especialmente a região da Bacia do Rio Amazonas, Rio Paraná e Rio São Francisco. O minhocão muda de aparência de região para região, a semelhança está na ação destrutiva do monstro que confirma sua vocação irracional e violenta. Há uma lenda em Cuiabá que a criatura vive no poço do Rio Cuiabá e ataca barcos à noite quando fica com raiva, derruba barrancos e casas que ficam nas encostas.

Encontrei referências que conta uma história de um peixe semelhante a um surubim que perdeu as nadadeiras e subiu à terra firme para viver no barro, ou seja, virou uma piramboia. É esta referência que foi usada na criação do monstro no episódio primeiro de Tupanaoca, um monstro com uma aparência mais parecida com um peixe do que um verme.

Você poderá conferir o monstro em ação no dia Vinte de Junho, data do lançamento da história em quadrinhos Tupanaoca aqui no site. Todos estão convidados.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Cristo e o Diabo na Terra

Pé de Deus e Pé do Diabo

Oieras é uma cidade do interior do Piauí fundada no século XVII em uma empreitada da coroa portuguesa em afastar a criação bovina da cultura de cana-de-acúcar na época. A cultura da cana deveria ficar mais próxima do litoral, por ser mais lucrativa. Por ser uma cidade antiga e de muita história, Oieras tem muitas lendas interessantes, uma delas é a do chamado "pé de Deus e pé do Cão" ou "Pé de Deus e é do Diabo" como preferirem.

"Contam os antepassados que o rastro de um pé humano em um lajeiro do Bairro Rosário, é o Pé de Deus, pois Jesus na sua caminhada pelo mundo, por ali passou. O Cão, o demônio que sempre o perseguiu veio veio atrás e lá também deixou a sua pegada. O Pé do Cão é redondo, mas ninguém o vê, porque está sempre coberto de pedras atiradas pelos visitantes como sinal de protesto e rejeição, enquanto no Pé de Deus, colocam-se flores e velas."

Segundo a lenda, as marcas das pegadas estão afundadas na rocha. Infelizmente o chamado "Pé do Diabo" está enterrado sob uma montanha de pedras. Como sou curioso, creio que seria legal se fosse possível ver também a marca "do cão". Turisticamente falando, creio que seria mais divertido. 

Seja como for, um pouco desta história lendária será citada em quadrinhos no dia 20 de junho, neste blog. 

Até lá.

Fontes: Wikipédia e Fantastipédia

sábado, 1 de junho de 2013

Força Sinistra


Como Tirado de um Pesadelo


Quando eu era criança e ouvia casos ao pé do fogo, escutava histórias das noites do interior de Minas, região do Serro, Alvorada e Conceição do Mato Dentro, casos de lobisomem, o cão fantasma da encruzilhada, a cobra voadora e outras. Uma história sobre o cão fantasma (que mais tarde se assemelhou muito a história do cão das doze que li) me intrigou muito na época. Minha tia me contou que meu tio avô que faleceu há anos retornou bêbado da cidade para o campo quando encontrou um grande cachorro branco de olhos vermelhos uma porteira. 

O bicho uivava e babava de raiva e avançou em cima dele. Ele sacou o revolver e tentou descarregar a arma no bicho, mas a arma mascou. Ele pegou a faca e tentou furar o bicho, mas ele entrou dentro da terra e ficou latindo lá de dentro. Segundo a história ele riscou a terra para todo lado e nada de acertar o tal cachorro. De medo ele fugiu e se escondeu em casa chorando a noite inteira. No dia seguinte a arma miraculosamente funcionou perfeitamente. 

Hoje em dia é coisa de se dar risada, afinal, alguém bêbado tendo alucinações de madrugada e não conseguindo nem empunhar uma arma é bem comédia. Mas o interessante deste fato é que já escutei alguns casos de amigos no interior onde a aparição de fantasmas fez com que o carro de um sujeito parar funcionar do nada no meio do mato só voltando a funcionar quando o ser sobrenatural desapareceu, ou acontecesse um blecaute da casa ou na fazenda.

Cheguei então a conclusão que os monstros de nossa mitologia são muito mais assombrosos que os de Hollywood. Imagine você sendo o Batman ou o Homem de Ferro e seus equipamentos eletrônicos e armas simplesmente não funcionarem na presença de uma criatura assim? Seria um pesadelo. É como se os monstros de nosso folclore estivessem envoltos em uma força sinistra que ignora o efeito das criações do ser humano.

"Passa no fogo e não queima
Passa na água e não molha
Tiro de arma não zoa
Faca amolada não corta"

Achei a concepção interessante já que encaixa bem com o xamanismo mágico dos índios e até um pouco com a ideia do "Corpo Fechado" da mitologia afro-brasileira. Há várias histórias de heróis indígenas que tinha "olhos nas costas" para poder ver os inimigos, como na história do velho Juruna Sinaá do livro "Xingu - Os Índios e Seus Mitos" de Orlando e Cláudio Villas Boas. No livro é comum ver transformações em animais, aves e peixes.

Baseado nesta concepção eu tirei a ideia da "Força Sinistra" que faz parte do Universo de Tupanaoca e em sua forma lapidada que seria o conhecimento do "Ayvu Rapyta", a sabedoria dos ciclos dos céus tirado do livro do índio Kaká Werá Jakupé com o título de "A Terra Dos Mil Povos".

Para ver como isso foi usado nas histórias, é só acompanhar os quadrinhos de Tupanaoca que serão publicados neste blog. Espero que seja do agrado de todos.


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Primeira Postagem


Olá.

O século passado foi logo ali. Acreditem, na década de sessenta e setenta a metade dos municípios do Brasil não tinham ainda luz elétrica e eram iluminados por geradores ou por lampiões e lamparinas de querosene. Quem nasceu nos anos setenta, ou antes, tem muito que contar de como o mundo era visto naquela época. O rádio era o melhor meio de comunicação com o mundo e os casos ao pé do fogo, nas noites frias, eram as novelas e séries da época.

Eu nasci em uma cidade bem estruturada, mas tive em minha infância a oportunidade de ouvir muitas histórias no interior de Minas, terra da minha mãe, e talvez seja por isso que eu gosto tanto do folclore e seus mistérios. De certa forma eu vivi isso quando jovem. Como escoteiro ou com meus primos e amigos do interior, incontáveis noites já caminhei sem qualquer tipo de luz por trilhas e estradas de terra. Acampei muitas vezes. Dormi muitas vezes em fazendas. Já joguei futebol na chuva, ou sob a luz da lua cheia. Já pesquei à noite com o rio cheio. Por isso digo que quem já caminhou em uma noite de verdade sabe que é algo diferente. Todos os seus sentidos precisam se ampliar para você não ser surpreendido por um buraco ou algum obstáculo natural. Seu coração bate diferente. Seus ouvidos também precisam ouvir o que está em volta. Você precisa ficar menos distraído e desligar os inúmeros pensamentos de sua mente que são inúteis diante da escuridão.

Escutar o som da noite, sentir o cheiro do capim, ver o céu limpo... São sensações maravilhosas que, não importa o quanto o tempo passe vivendo em cidade, você jamais esquece. Você também não se esquece dos seus medos de quando você é criança. O som de um inseto em uma noite realmente escura é ameaçador, afinal, você não sabe que bicho que é. Seria ele grande, pequeno, venenoso? São estas sensações que, acredito eu, seja a matriz para a criação das lendas em uma época em que não havia tantas estradas, tanta tecnologia e tanta comodidade. Diz uma das lendas sobre os Sacis que eles nascem em bambuzais. Eu já tive a oportunidade de entrar em um bambuzal muito grande à noite e posso dizer que é assustador! Não passa um raio de luar por entre as folhas. É realmente um lugar ideal para a morada de um saci.

Na cidade grande, não temos medo de sacis. Temos medo é de trapaceiros, malucos sob o efeito de drogas e assaltantes com armas de fogo.  Uma realidade muito chata na minha opinião. Com sacis, tínhamos a sensação gostosa do imponderável e do mistério. Com ladrões, não há mistério algum, apenas a sensação de ódio e revolta de você não poder fazer nada com eles do que eles fazem com a gente. Vivemos sob a regra de ser assaltados, chamar a polícia, fazer um Boletim de Ocorrência e virar mais um número na estatística da violência urbana. Vida muito chata.

É por isso que estou inaugurando este espaço. Para falar um pouco sobre lendas, folclore, quadrinhos, etc. Dois amigos meus me marcaram com o mesmo discurso: O Eustáquio, da faculdade e o Henrique, do blog cultura pop. Da maneira deles eles me disseram que quando eu fosse ler ou assistir um filme ou algo assim deveria fugir do pensamento comum de que tudo tem que ser  “o mais real possível”. A realidade já está a nossa volta, basta ler um jornal ou dar uma volta na rua. Concordo com eles. Quem quiser realidade visite o G1, o R7, ou o site da Veja. Quem quer se divertir, conhecer um pouco dos “causos” do interior, do folclore e ainda falar de cultura pop, quadrinhos e afins, TUPANAOCA é o seu lugar.

Desejo que aqui seja o espaço certo para conversar com outros blogueiros, mostrar o projeto Tupanaoca de quadrinhos, e falar sobre folclore, lendas urbanas e criar ideias para novas histórias.
Seja bem vindo. Espero que se divirta.


Frederic Assis Spekman – Maio/2013